Cirurgia Comum e 3º Molar – Dente do Siso

O que é?

Se o seu caso for uma extração dentária comum, qualquer que seja o motivo, são realizados os mesmos procedimentos e também os cuidados pós-operatórios. No entanto, é bem mais simples de ser feita e com recuperação mais rápida e tranquila.

A extração do siso é uma cirurgia para a retirada dos dentes terceiros molares, conhecidos também como dentes do siso ou dentes do juízo. A cirurgia de extração do siso pode ser feita quando os dentes já nasceram ou mesmo para dentes que não vão nascer – é o chamado dente do siso incluso.

A extração do siso deve ser feita apenas quando eles não nasceram adequadamente na boca. Caso o dente esteja presente e não comprometa a arcada dentária, ele funciona como os demais dentes do fundo, na fase final da mastigação, e não precisa ser retirado. A indicação de extração do siso se relaciona a:

  • Incapacidade de higiene adequada dos dentes do siso por falta de acesso com as escovas e fio dental;
  • Pressão ou empurramento nos dentes vizinhos que gere riscos de traumas e/ou perdas do alinhamento dos dentes;
  • Alterações na normalidade da mordida e da fala motivadas pela presença dos sisos;
  • Dentes inclusos: que não conseguem “nascer” pela falta de espaço ou má posição dentro dos maxilares;
  • Sisos tomados por infecção recorrente, como cárie ou doença periodontal de tratamento complicado;
  • Sisos em contato com a raiz dos segundos molares, podendo gerar dor e necessidade de tratamento de canal no futuro;
  • Caso os sisos estejam gerando dor em outras partes da face, como mandíbula e ouvidos, já tendo sido investigadas outras possíveis causas para as dores.

Quem não pode fazer

Não existem contraindicações muito severas com relação à extração dos sisos. No entanto, pacientes que estejam com a saúde comprometida ou inflamações do local, por exemplo, devem considerar adiar o procedimento. Dependendo da indicação cirúrgica, o paciente também pode optar por outros tratamentos que não a extração dos sisos para resolver seu problema. Tudo dependerá do quadro do paciente e da opinião do especialista.

Pré-requisitos

Também não há grandes pré-requisitos para incluir ou excluir um indivíduo da indicação cirúrgica. Mas o momento ideal para extração dos sisos é entre os 16 e 18 anos, quando se formam as primeiras raízes dentárias e o dente ainda não nasceu. Isso porque nessa faixa etária a formação das raízes do dente do siso ainda não está completa, tornando a extração do siso mais simples e com melhor prognóstico. Entretanto, a cirurgia pode ser feita sem riscos em qualquer idade, sendo ideal até os 25 anos.

Anestesia

A anestesia para extração dos sisos é local, comum no consultório. Além desse anestésico, você e seu cirurgião-dentista ou cirurgião buco-maxilo-facial podem decidir que um sedativo é desejado para controlar qualquer ansiedade. Caso seja usado um sedativo, é necessário levar um acompanhante no dia da cirurgia, para orientar o paciente enquanto o sedativo ainda não perdeu o efeito.

Como é realizada

É aplicada uma anestesia local próxima ao dente que será retirado. Após a área estar adormecida, é feita uma incisão na gengiva, que é deslocada, para que o cirurgião possa ver o dente a ser retirado. Caso os dentes ainda não tenham nascido, é feita a remoção do osso que recobre o dente e depois a remoção do dente. Por fim, o cirurgião retira os restos de osso e pedaços de dente que possam ainda estar dentro da cavidade, e completa com uma sutura. Em alguns casos, o dente pode ser quebrado e retirado em partes, em outros será retirado inteiramente. Tudo depende da posição do dente e condições do paciente. Com planejamento adequado, não há problemas.

Tempo do procedimento

A duração da extração siso varia conforme a dificuldade da cirurgia e quantidade de dentes que será retirada. Em média, a cirurgia de extração do siso leva menos de 30 minutos para ser feita (por dente), podendo em alguns casos mais fáceis demorar 5 minutos até, mas pode ser que leve mais tempo conforme o quadro do paciente.

Cuidados antes do procedimento

No dia de sua extração do siso, o ideal é fazer uma refeição leve e tomar todos os medicamentos que eventualmente forem prescritos, como antibióticos. Evite usar maquiagem ou qualquer acessório volumoso no cabelo, para não causar incômodo ou dificultar o posicionamento de sua cabeça durante a cirurgia de extração do siso. É importante informar ao dentista todo seu histórico de saúde, para que os cuidados sejam tomados previamente caso necessário.

Como é a recuperação do paciente

A velocidade de sua recuperação depende do grau de dificuldade da extração. Em geral, o paciente pode sentir esses sintomas:

  • A anestesia dura em torno de quatro a cinco horas, salvo em casos de eventual parestesia transitória (sensações como formigamento, frio e calor na área) decorrente dos procedimentos associados à extração do siso. Neste caso, a sensação de anestesia irá perdurar por alguns dias, até cessar por completo;
  • Pode ser que ocorram sangramentos em uma ou mais aberturas nas primeiras 24 horas. Para controlá-los, coloque um pedaço de gaze limpa sobre a área do dente retirado e tente mordê-la firmemente até sentir que o sangramento foi estancado. Caso seja necessário, troque a gaze por outra limpa. Se persistir um sangramento intenso, comunique o seu dentista;
  • Edemas faciais na área onde o dente foi extraído são comuns. Para diminuir o inchaço, aplique nas primeiras 2 a 3 horas uma compressa gelada a cada 20 minutos, durante 10 minutos aproximadamente. Repita conforme necessário. Após esse primeiro dia, trate o inchaço com compressas quentes, aplicando uma toalha quente e úmida na área de 20 em 20 minutos, repetindo conforme necessário;
  • Em alguns casos, pode ser que o paciente tenha dificuldades para abrir ou fechar a boca, em virtude da tensão gerada pela extração do siso. Essa situação é transitória e se recupera juntamente com a cicatrização das áreas de extrações dos sisos.

 

Complicações possíveis

Entre as complicações mais importantes da extração dos sisos, além dos problemas que podem ser comuns a todas as cirurgias, como infecções. Pode ser que ocorram esses problemas:

Alveolite: ela ocorre quando o coágulo de sangue formado para iniciar o processo de cicatrização se desfaz ou se desloca, deixando a cavidade exposta. A alveolite normalmente ocorre em três ou quatro dias após a extração e é acompanhada de dores muito fortes e odores estranhos na boca. Caso isso aconteça, procure seu dentista.

Parestesia: é causada quando há um dano nos nervos próximos ao dente que foi extraído, gerando uma dormência na língua, lábio ou queixo. Essa ocorrência, embora possível, é muito rara, e no geral dura alguns dias ou semanas. Caso o problema persista, procure seu dentista.

Trismo: o trismo acontece quando o paciente mantém o maxilar muito tenso durante a cirurgia, ou então quando o procedimento de extração do siso foi muito difícil. O paciente com trismo não consegue abrir a boca completamente, impossibilitando a alimentação e mastigação completa, bem como deixando a fala comprometida. Esses sintomas podem ser evitados com medicação prevista no pré-operatório e qualidade técnica dos procedimentos de extração.

Cuidados após a cirurgia

Alguns cuidados devem ser adotados nos primeiros dias após a cirurgia:

  • Deve ser feita uma dieta líquida nos primeiros três dias, evitando comer alimentos quentes. Nos quatro dias seguintes, é recomendada uma dieta pastosa, evitando nos quatros consumir alimentos granulosos, duros ou consistentes. Isso ajuda a diminuir o inchaço e o sangramento, reduzindo o risco de infecções. É importante que tanto a dieta líquida quanto a pastosa sejam nutritivas, mantendo o sistema imunológico fortalecido;
  • Tome as medicações corretamente. Podem ser usados analgésicos leves, moderados ou fortes, sedativos, anti-inflamatórios esteroides ou não esteroides e antibióticos. O tempo de medicação deve ser estabelecido pelo profissional, mas no geral são três dias para medicação analgésica e de três a 15 dias para os antimicrobianos;
  • Evite fazer bochechos ou cuspir nas primeiras 24 horas após a extração do siso, bem como fazer movimentos de sucção;
  • Escove os dentes de forma mais suave que o habitual e evite os dentes vizinhos dos sisos extraídos durante as primeiras 24 horas. No segundo dia, retome a escovação suave dos seus dentes. Não use enxaguantes bucais comerciais, a não ser que tenham sido prescritos;
  • NÃO FUME pelo menos nos primeiros sete dias. O cigarro contém substâncias tóxicas que penetram na mucosa da boca e podem infeccionar a cicatriz;
  • Não ingira bebidas alcoólicas. Elas podem interagir com a medicação e causar efeitos colaterais;
  • Sete dias após a extração o paciente deve retornar ao consultório para remover os pontos. Deixar pontos na boca além do previsto pelo dentista pode resultar na retenção de alimentos, bactérias e impurezas que dificultam a cicatrização, arriscando a saúde dos dentes vizinhos e de todo o restante da boca, podendo chegar ao ponto de causar infecção e feridas na região. Os pontos só podem ficar na boca quando eles são do tipo reabsorvíveis, não sendo necessária a visita para remoção.

Fonte: Site Minha Vida – adaptado